domingo, 22 de abril de 2018

O que é a reunião one-on-one e como fazê-la de forma efetiva?



Como empreendedor, você sabe que o tempo é escasso. Você precisa dividir sua semana entre os diversos aspectos da administração do seu negócio e ainda encontrar tempo para investir em si mesmo como profissional, e nem mencionamos que é necessária certa prioridade para sua família – no final das contas, é por eles que você faz todo esse esforço, não é mesmo?

Porém, além da constante pesquisa sobre seu mercado, do tempo investido criando seu próprio site e dos infinitos processos burocráticos (a gente sabe, não é moleza), também é preciso concentrar-se no maior ativo que sua empresa possui: sua equipe! Você saiu à procura do grupo de funcionários que melhor se encaixasse no perfil do seu negócio, agora é hora de estimulá-los a serem a melhor equipe. E a forma mais significativa e mais efetiva de entender seu funcionário e transmitir a ele a cultura da sua empresa é a reunião one-on-one.

O que é a reunião one-on-one?

A reunião one-on-one é um encontro periódico entre o líder e o liderado. De uma forma geral, o gestor de um equipe realiza reuniões one-on-one com todos os membros de sua equipe, encontrando-se semanal ou quinzenalmente. Há fatores que podem resultar em um espaçamento maior entre os encontros, mas o intervalo não deve ultrapassar um mês. Estas exceções devem ser concedidas apenas em circunstâncias específicas, como uma equipe muito grande, um gestor que esteja passando por um período de sobrecarga ou algum funcionário especialmente experiente, que não necessite de um acompanhamento tão intenso.

Estas reuniões um-a-um (geralmente conhecidas por seu nome em inglês e também chamadas de 1:1) são a base da relação entre o líder e o liderado, uma oportunidade “de ouro” para a construção de um laço de confiança entre as partes. Trata-se de um aspecto fundamental da cultura da empresa, e da transmissão da ideia de que os funcionários têm alguém que os escuta e a quem podem recorrer. Em muitos casos, gerentes, coordenadores e até mesmo diretores e CEOs sentem a necessidade de realizarem reuniões one-on-one com os colaboradores, mesmo que com maior espaçamento – uma a quatro vezes por ano. É importante, no entanto, que estes encontros sejam vistos como adicionais, não substituindo o encontro recorrente entre o trabalhador e seu gestor direto.

Devido à sua natureza periódica e mais íntima, as reuniões one-on-one não devem focar em análise de projetos correntes e feedback corriqueiro de tarefas e metas. A ideia é criar um “momento de conforto” para que o funcionário se sinta confortável para expor suas opiniões, sem a necessidade de explicar-se sobre assuntos trazidos pelo gestor.

Como preparar-se para a reunião one-on-one?

O primeiro passo é o mais importante, mas vale de uma só vez para todas as reuniões one-on-one: é preciso entender os objetivos do encontro, e estar disposto a ouvir bastante. Você quer criar um ambiente onde seu funcionário se sinta confortável para expor suas opiniões sobre o que está acontecendo na empresa como um todo e em sua equipe em particular – além de expor questões externas ao trabalho que possam influenciar seu desempenho. Para isso é preciso saber fazer as perguntas certas, além ouvir as respostas com atenção e estar preparado para fazer perguntas adicionais, que não estavam previstas em seu roteiro, mas se fizeram necessárias a partir dos relatos ouvidos. A escolha do local da reunião também pode ajudar na criação do ambiente desejado, fuja da formalidade e convide para um café.

Para transmitir a ideia de que esta reunião não é sobre o chefe, as tarefas ou a empresa, mas sim sobre o funcionário e suas questões, é necessário que esta atenção se reflita nas perguntas feitas. Veja a seguir alguns exemplos de perguntas que podem ser usadas em uma reunião one-on-one:

Como estão as coisas?

Tudo bem com as crianças?

Aqui você deve adaptar à realidade de cada um, mencionando o nome do cônjuge ou de outro membro da família pelo qual ele é responsável. Conhecer esses detalhes é uma forma efetiva de demonstrar sua preocupação com seu funcionário enquanto pessoa, não apenas enquanto colaborador.

Você está feliz?

Qual foi a preocupação mais recente que surgiu no seu dia-a-dia?

Uma das maiores diferenças entre um chefe e um verdadeiro líder é seu sincero interesse pelo que está passando pela cabeça de cada integrante de sua equipe.

Como está seu trabalho?

Há algo que eu possa fazer para ajudar em suas tarefas?

Mais do que alguém que cobra resultados, sua equipe deve entender que você é um facilitador. Em situações em que o profissional relata ter encontrado uma dificuldade específica, o gestor pode citar um episódio de sua própria carreira para exemplificar a forma como pode ser encontrada a solução. Um exemplo pessoal também fortalece a identificação e apresenta o líder como alguém que entende o que o liderado está passando.

Como está o meu trabalho?

O que você alteraria no ambiente da empresa se pudesse?

Este é um dos pontos nevrálgicos da reunião. Para o gestor, é importante saber ouvir e evitar a postura defensiva. Mais do que tentar justificar determinados aspectos e comportamentos, é essencial reconhecê-los como pontos de incômodo – afinal, alguém o considerou importante a ponto de expô-lo ao chefe!
Você acredita que podemos melhorar nosso produto ou a forma como fazemos as coisas?
Há alguém na equipe que você acha que vem se destacando recentemente?
As respostas para estas perguntas podem ser surpreendentes!


Como preparar sua equipe para a reunião one-on-one?

Existe a possibilidade de que alguns membros da sua equipe não conheçam o conceito de reunião one-on-one, apesar de ser cada vez mais comum mesmo fora do ramo das start-ups e das empresas de tecnologia do Vale do Silício. Por isso, vale a pena aproveitar uma reunião com toda a equipe para explicar que você deseja implementar este hábito – imagine o susto que as pessoas levariam se cada um recebesse repentinamente um email do chefe marcando uma reunião individual?

Além disso, para manter o espírito de uma reunião focada no funcionário, é interessante que ele tenha o controle sobre dois outros aspectos: o horário e a pauta da reunião. Cada membro da equipe deve ser responsável por encontrar o melhor horário para o seu one-on-one (seja definindo um horário fixo ou sempre se encarregando de agendar a próxima). Também é importante que o colaborador defina o que será discutido no encontro, para que a ênfase não recaia sobre os tópicos que o gestor considera prioritários.

O que mais precisamos saber sobre a reunião one-on-one?

Caso a reunião não possa ser realizada em seu horário normal, é imprescindível reagendá-la imediatamente. Por não tratar de assuntos corriqueiros ou urgentes, o one-on-one pode não parecer essencial, mas sua importância no longo prazo é vital! Por outro lado, não é muito grave cancelar uma reunião eventualmente, caso não haja nada a ser discutido – apenas assegure-se de que a próxima aconteça com certeza, para que os cancelamentos não se tornem a regra.

À primeira vista, pode parecer desnecessário – para não dizer impossível – que você insira mais uma meia-dúzia de reuniões em sua agenda semanal, que já não possui muitos horários livres. Com o tempo, à medida em que for percebendo que conhece cada vez mais sobre sua equipe e que há uma forte relação de confiança no ambiente de trabalho, perceberá que os efeitos positivos deste novo hábito são muitos. Você não conseguirá sequer imaginar como era possível gerenciar pessoas sem a reunião one-on-one!
Pronto para destacar o trabalho da sua equipe? Crie um site agora mesmo com a abas web designer!

Por Equipe Wix

Vem aí mais um app de mensagens do Google




O Google está preparando mais um aplicativo de mensagens para o Android. De acordo com o The Verge, o Chat vai ser um serviço de troca de mensagens baseado em um sistema que foi criado para substituir o SMS.

Ele vai representar mais uma tentativa do Google de entrar com força no mundo das mensagens. Enquanto apps como WhatsApp, Messenger e Telegram dominam as conversas online, o Google não consegue ter uma participação significativa nesse mercado. No passado, o Hangouts tentou competir com outros apps e fracassou. Mais recentemente, o Google investiu no Allo, que não caiu nas graças do público.

A nova investida é, na verdade, uma tentativa de mudar a forma como as pessoas conversam na internet. O Chat vai usar a tecnologia Rich Communication Services (RCS), uma versão mais moderna das mensagens SMS. Com ela, além de texto é possível também enviar conteúdo multimídia, criar grupos de mensagens com diversos membros e também trocar emojis, além de receber confirmação de leitura, indicador de digitação e mais recursos de aplicações modernas de mensagens.

Ele vai existir dentro do Android Mensagens, o aplicativo padrão do sistema móvel para troca de mensagens SMS. Quando começar a funcionar em algum momento deste ano, o Chat vai servir como principal protocolo de mensagens no Android, e as mensagens enviadas por ele vão consumir o plano de dados do usuário, e não o pacote de mensagens SMS. Quando a conversa for feita com alguém que não usa RCS, a mensagem vai ser enviada como um SMS convencional.

Por ter sido idealizado como um sucessor do SMS, o RCS depende das operadoras para funcionar. O Google diz que já fechou parceria com 55 espalhadas pelo mundo para uso da tecnologia - a empresa chegou a anunciar o início das operações da tecnologia no Brasil no fim do ano passado.

Uma grande desvantagem do novo protocolo em relação a apps convencionais como o WhatsApp é que as mensagens trocadas por RCS não são criptografadas - o que significa que é possível bisbilhotar o conteúdo delas com mais facilidade do que outros serviços.

Como consequência do lançamento de mais um app de mensagens, o Google vai interromper o desenvolvimento do Allo. Lançado em 2016 com o Google Assistente integrado, o serviço não conseguiu ganhar popularidade. Grande parte da equipe responsável pelo Allo agora vai trabalhar no aprimoramento do Android Mensagens.

Por:DANIEL JUNQUEIRA 

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Guia Completo: Como Abrir Seu Próprio Negócio




Comprar um cafezinho é simples. Você pede, paga e espera seu café ficar pronto. Só isso! Como empreendedor, no entanto, você o enxerga como o produto final de um processo que vai muito além da experiência do consumidor. Observando por trás dos panos, você notará os grãos de café, o funcionário, a xícara e muito mais – cada um veio de um lugar diferente e se encontram como resultado de um plano traçado com antecedência. E esta é apenas uma fração de tudo o que aconteceu.

Antes de vender seu primeiro café (vamos seguir com esse exemplo por enquanto, ok?), há todo um planejamento que o dono do negócio precisa completar. Não importa se você está apenas começando a criar seu site ou transformando sua ideia mirabolante em realidade, criamos esse guia para você conferir se seguiu à risca passo-a-passo todo o que deve ser feito. Vamos ver como abrir um negócio de sucesso:

01. Defina metas e objetivos
Antes de voar alto e ir mais longe (ou qualquer outra expressão que signifique fazer sucesso), é preciso começar do começo. Seu negócio surge de um ideia e essa ideia deve ser desenvolvida antes que qualquer decisão seja tomada. A primeira pergunta que você deve se fazer é: “o que quero alcançar?” No final das contas, o que vai te trazer a sensação de haver concretizado aquela pequena ideia que teve no início? É crucial que você defina essas metas desde o princípio, e volte a revisá-las de quando em vez, pois são elas que vão te trazer de volta aos trilhos caso você ache que esteja perdendo o foco.

É importante ser criativo e ambicioso, mas sempre mantendo uma visão geral prática e realista. Parece difícil? É difícil! Muitas vezes, pequenos negócios traçam metas irreais que levam à impossibilidade de cumprir objetivos e deixam seus investidores decepcionados. É fundamental observar o processo como um todo e verificar se as metas que você definiu são muito exageradas – e repensar se não seria melhor alcançar algo mais simples primeiramente, para conseguir galgar degraus mais acima no longo prazo. Encontre metas razoáveis e alcançáveis, para ter um início bem-sucedido.

02. Faça uma pesquisa de mercado
É importantíssimo pesquisar o mercado no qual está penetrando. Por mais sério que isso possa parecer, é provável que você já tenha um certo interesse por esse ramo de negócios, então o processo trará bastante aprendizado, além de ser interessante e divertido. Aprenda o máximo que conseguir sobre o mercado antes de colocar a mão na massa. Faça cursos, leia livros, assista ou ouça entrevistas com profissionais que são referência na área – faça disso sua prioridade. Quanto mais você souber sobre o mercado, mais confiante se sentirá e mais rápido seu nome será reconhecido.

Após conhecer o mercado como a palma da sua mão, chega a hora de se familiarizar com outro elemento de suma importância: seu cliente. Neste momento, você deve ter uma ideia de como é seu público-alvo, mas agora deve mergulhar a fundo em seu mundo e aprender o máximo sobre seus hábitos. Da análise geral do comportamento do consumidor à pesquisa específica sobre seu mercado, há muito o que aprender sobre as pessoas que vão interagir com seu negócio desde o dia do lançamento.

Sem querer estragar a sua festa… a não ser que sua ideia seja super exclusiva, existe alguém, em algum lugar, fazendo o que você faz – ou algo bem parecido. O segredo é conhecer a concorrência e observar como eles trabalham. Caso, aos olhos do cliente, seu serviço pareça idêntico ao do concorrente, pode ser que ele prefira a empresa mais antiga e mais estabelecida. No entanto, nem sempre vai ser assim, e o novato também possui uma vantagem competitiva! Seu negócio já nasce adaptado ao mercado existente, oferecendo recursos e serviços que os concorrentes levarão um tempo até conseguirem oferecer. Esse fato te coloca em condições de igualdade para competir, mas sempre será importante adaptar seus serviços, melhorando-os e atualizando-os, para posicionar-se à frente.

03. Converse muito
Você vai ter muitas conversas quando estiver abrindo seu negócio, e isso é ótimo. Desde o nascimento da ideia, comece a falar sobre seus planos. Verbalizar o que está preparando ajudar a tornar o próprio conceito mais concreto para você e para os outros, além de trazer uma motivação extra para não ficar esperando e começar a cumprir suas tarefas. Esta experiência também vai trazer muito aprendizado. Ao explicar para os outros, você ouvirá boas opiniões e será exposto a aspectos sobre os quais ainda não havia pensado. Após o lançamento do negócio, você será seu maior fã – e precisa vestir a camisa. Você se surpreenderá com as oportunidades ocultas que se revelarão para seu negócio quando você comentar sobre ele em festas, com os amigos e os vizinhos.

Para falar, você deve estar preparado. Neste momento, existem dois pontos que você deve dominar. O primeiro é seu plano de negócios. Após definir seus objetivos e vislumbrar o que deseja alcançar com seu novo negócio, você deve criar um plano de negócios que resumirá todos esses detalhes. A mente do empreendedor voa, então seu plano de negócios servirá não apenas para atrair sócios, investidores e bancos, mas também para manter seus pés no chão enquanto você transforma seu sonho em realidade. O segundo ponto é o seu papo de elevador. Você precisa saber como “vender” sua marca com um discurso curto, inteligente e cativante. É como ter sempre pronta a resposta para a pergunta “O que você faz da vida?”, preparada de uma maneira que quem estiver ouvindo ficará curioso para saber mais sobre você.



04. Faça testes com suas ideias
Nem pense em lançar seu negócio no mercado sem passar pelos devidos testes. Uma falha pequena ou um erro simples podem ser a diferença entre uma estreia triunfal e um verdadeiro desastre. Sua função é garantir que este último cenário seja quase impossível de se tornar realidade. Independente de estar oferecendo um serviço ou um produto, experimente com seus amigos e outras pessoas próximas para avaliar como será a experiência dos clientes. Não se esqueça de registrar (em vídeo, em áudio ou por escrito) com riqueza de detalhes como tudo ocorreu, e pedir que todos dêem seu feedback sobre o que poderia melhorar. Analise todas as opiniões e tente melhorar seu serviço ou produto.

05. Encare a burocracia
Essa é a parte menos interessante e mais enfadonha.

Nada é mais frustrante do que navegar pela teia da burocracia. Ao abrir um negócio, é importante saber se todos os seus aspectos são legais. Faça o dever de casa investigando se não há nenhuma patente ou quaisquer outras restrições que possam limitar suas ideias. O tipo de registro de sua empresa e a escolha de seu regime fiscal são decisões que você deve tomar junto com especialistas, como advogados e contadores. Além disso, também é necessário dar entrada nos pedidos para receber todas as autorizações necessárias para abrir as portas – o número exato de pedidos, autorizações, carimbos e papeladas varia de acordo com o local onde o negócio está sendo aberto e o tipo de serviço ou produto que você deseja oferecer.

06. Tenha todo o orçamento necessário
A não ser que você consiga transformar seus sonhos em ouro, é preciso financiá-los com dinheiro. Claro que essa verba também pode vir de outras pessoas ou organizações interessadas no seu negócio. Existem muitas opções por aí. Para o jovem empreendedor, a verba pode vir de um banco, um fundo, de instituições públicas, ou quaisquer outras fontes. No entanto, antes de sair visitando todos os bancos até achar a melhor linha de crédito, se prepare. Pesquise e veja toda a documentação necessária para fazer as solicitações. Outro caminho possível é encontrar um investidor, que adiantará fundos em troca de algo, geralmente uma porcentagem dos lucros ou da sociedade.

07. Encontre o parceiro ideal ou encare a carreira solo
É aqui que sua estrada chega a uma bifurcação. Você é mais Indiana Jones, que só precisa de um chapéu e um chicote, ou é mais a galera dos Goonies, que explora o mundo com a turma toda? A escolha é sua. Há vantagens (e desvantagens) em ambos os caminhos. Escolhendo a carreira solo, você não deve satisfações a ninguém e está sempre ao volante, decidindo para onde o negócio vai. Apenas seus clientes podem te levar a mudar de estratégia nesta aventura solitária de empoderamento. Ainda assim, não tenha medo de investir na terceirização de algumas tarefas que custariam muito (e levariam muito tempo!) para conseguir fazer sozinho. Você busca a eficiência, então concentre-se no que você faz de melhor.

Com um sócio, você ganha uma pessoa para ventilar suas ideias e ajudar ao longo do caminho. Procure alguém que seja forte justamente nas características que você não domina tão bem. Como em um relacionamento romântico, sociedades podem dar errado, mas você não poderá simplesmente “acabar” o namoro. Você assinou um contrato e, quando surgem as tensões, é necessário encontrar soluções em conjunto – ou em juízo. Ao escolher um sócio, é importante ter certeza de que ambos têm a mesma mentalidade e concordam com relação ao nível de dedicação ao negócio que cada um deve manter. O pior sócio é aquele que te enlouquece, deixando todas as tarefas insuportáveis para você fazer. 



08. Crie seu seu logo e sua marca
O logo será um dos aspectos mais lembrados de seu negócio, então você deve acertar em cheio. Ainda bem que nós já mastigamos neste artigo tudo o que há para saber sobre como criar seu logo, não é? É parte integral do processo de como criar sua marca, junto com seu slogan, a paleta de cores de seu site, seus cartões de visita e demais itens da identidade visual. Elementos como cores e fontes literalmente falam mais alto que as próprias palavras, então preze pela consistência na escolha de fontes para sua marca, com opções que possam ser usadas em todas as redes sociais, no site e nos materiais publicitários.

09. Mantenha todos informados com seu site
Até o lançamento oficial, é preciso atualizar os interessados em algum lugar, e esse lugar deve ser o seu site! O site é a pedra fundamental da sua presença online, a base a partir da qual é propagada a sua mensagem. Você precisa de um site que seja profissional e cativante como você (não precisa ficar sem graça, você merece o elogio!). Comece criando uma conta no mais completo e renomado construtor de sites. Demora apenas alguns segundos com o seu email ou sua conta do Facebook. Em seguida, escolha um dos incríveis templates grátis criados para todo tipo de negócio – do estúdio de yoga à loja de moda. Esse guia explica todos os passos necessários para criar um site profissional incrível para seu negócio.

De início, é importante criar seu primeiro banco de dados de clientes em potencial, então um elemento que não pode faltar em seu site é o formulário de assinatura. Assim, os interessados podem adicionar seus respectivos emails para receberem sua newsletter. Um formulário de contato direto também é uma boa ideia, pois podem surgir dúvidas ou até oportunidades de negócios a partir de seu site. E o mais importante: seu site precisa estar preparado para aparecer no Google. Com o Wix SEO Wiz, você está equipado e pronto para ser encontrado nos motores de busca. Este é um passo importante para seu crescimento orgânico e para sua visibilidade, que aumentará com o tempo. Mesmo assim, esteja sempre pronto!



10. Faça a divulgação pela internet

Você quer que seu negócio alcance seu público-alvo o mais rapidamente possível, e isso pode ser feito de diversas maneiras, mesmo antes do sucesso comercial. Exponha seu conhecimento através de um blog em seu site. Escreva sobre seu mercado e posicione-se como um especialista na área. Publicar periodicamente atrai tráfego para o seu site e beneficia seu SEO. Além disso, mantenha seus assinantes atualizados com newsletters sobre seu negócio. Pode ser a festa de lançamento da nova coleção, um produto que estava esgotado mas voltou às prateleiras, ou mesmo um novo post no blog, o email marketing possui um poder incrível para atrair e reter a atenção das pessoas. É claro que o Wix dá uma mãozinha nessa área também. O Wix Shoutout é uma ferramenta fácil de usar para criar newsletters maravilhosas e enviar seu conteúdo para os assinantes.

11. Atraia atenção para seu negócio nas redes sociais
Pronto para expor seu negócio para ainda mais pessoas? Chegou a hora de aproveitar tudo o que as redes sociais têm a oferecer. Crie contas para seu negócio em cada plataforma, para que as publicações não se misturem com o conteúdo dos seus perfis pessoais. Aproveite os contatos que já possui nas redes sociais e comece a interagir com eles. Outra boa ideia é procurar pessoas que você conheceu em eventos profissionais e começar a seguir seus perfis. Construa sua comunidade virtual devagar e sempre, com as pessoas da sua área de atuação e com todos os interessados em seu negócio. Mesmo que postar aquele GIF do gato dançando Macarena possa parecer uma ideia excelente (é muito bom mesmo), manter uma presença profissional nas redes sociais é um pouco mais complicado. Aqui vão algumas dicas sobre as principais redes sociais:



Facebook: É a maior rede social do mundo, e ponto final. Organize eventos transmitidos ao vivo com o Facebook Live para atrair a atenção e leve os espectadores para uma viagem pela estrutura interna do seu negócio. Com tantas possibilidades para seu negócio, o Facebook deve ser o primeiro espaço a ser conquistado.
Twitter: É mais um fluxo constante de pensamentos do que uma rede social, e ainda assim um excelente espaço para se conectar com as pessoas em tempo-real. Crie sua própria hashtag para seus seguidores acompanharem cada passo da sua marca.
Instagram: Com mais de 25 milhões de perfis de negócios ativos na plataforma, o Instagram se tornou quase obrigatório para a maioria dos empreendedores. É a rede social para os olhos, pois permite que você conte sua história de forma visual, mostrando em fotos e vídeos ao invés de usar palavras. Comece a criar conteúdo específico para o Instagram e aproveite tudo o que a rede tem a oferecer!


12. Inscreva seu negócio em listas e diretórios
Pode parecer a coisa mais analógica do mundo, mas ter o nome do seu negócio em listagens e diretórios locais pode ser muito útil. Não é benéfico apenas para seu SEO local, mas também ajuda a trazer mais links de sites externos para o seu site, possibilitando que mais pessoas o encontrem. Não perca muito tempo refletindo sobre esse passo, inscreva-se nos principais e mais completos diretórios que encontrar, pois são a eles que recorrem a maioria das pessoas. Claro, se seu ramo de atuação tiver suas próprias listagens, dê a elas a devida prioridade.

13. Pense no longo prazo
É muito fácil manter sua atenção focada apenas na criação do seu império negócio. Ainda assim, jamais se esqueça de pensar a longo prazo. É o que nos ensina a velha fábula da formiga e da cigarra. É claro que você quer ver o sucesso de seu negócio desde o início, mas é preferível que ele cresça devagar e sempre, de forma sustentável. Mantenha o foco em expandir seu negócio de forma gradual, sem almejar enriquecer rapidamente. Desta forma, evitará o desgaste.

14. Cresça com seu negócio
Ainda seguindo nosso conselho anterior, é importante que você e seu negócio se adaptem ao ambiente à sua volta – tudo que não é flexível acaba quebrando! A certa altura, você pode acabar revisando o plano de negócio que criou e decidir que é hora de redefinir suas metas, o que é uma excelente ideia. Seu projeto nasceu como uma pequena ideia que se materializou, e agora precisa de ajustes. Após traçar novos objetivos, verifique que todo o resto está alinhado a eles. Se as mudanças foram muito drásticas, pode ser necessária uma repaginada em seu site, em seu logo ou quaisquer outros elementos de sua identidade visual, para que reflitam a nova realidade.

Não tema as novidades, nem tenha medo de errar. Fracassar sabendo que foram esgotadas todas as possibilidades será sempre positivo, basta saber tirar lições da experiência. São inúmeros os empreendedores de sucesso que tiveram que engolir fracassos para chegar aonde estão hoje. Faz parte da aventura.


Por Equipe Wix